Quaresma


Maria Avelina Fuhro Gastal

Primeiro, viver o ver鉶. Desnudar o corpo, abandonar o rel骻io, dormir quando quiser, comer quando tiver fome, beber para relaxar, para brindar, para comemorar, para ter o que fazer, para matar a vontade, para aumentar a vontade. Desejar a mulher do outro, o homem da outra, a bunda e as coxas dos salva-vidas, o peixinho frito, o pastel de camar鉶, de queijo, de siri, a pizza de anchovas, o sonho de doce de leite, o sorvete sequinho ou coberto de guloseimas. Comer o que der, fantasiar com o que n鉶 rolar. Liberar geral no Carnaval, beijar qualquer um, n鉶 lembrar do que fez, esquecer de quem .

Da voltar para a rotina. Vestir a fantasia de s閞ios, cumprir prazos e tarefas, pagar a fatura astron鬽ica do cart鉶 p髎-ver鉶, organizar a agenda dos filhos, comprar material escolar, acordar as crian鏰s, alimentar, orientar, educar, assistir, apoiar, punir, confrontar, exigir. Encontrar amigos, almo鏰r com a grande fam韑ia aos domingos, pagar multas, buscar vaga para o carro, voltar para a academia, retomar a dieta e a posi玢o papai e mam鉫. Enfrentar tudo com energia e esperan鏰, com a certeza de que a P醩coa logo chegar e teremos, pelo menos, tr阺 dias de 骳io, mesa farta, muito chocolate e vinho. Quem sabe uma fugidinha praia ou serra?

Entre o final do primeiro e o final do segundo par醙rafo estamos vivendo a Quaresma. Per韔do destinado recupera玢o do corpo ap髎 a lux鷕ia e antes da gula.


Publicado na Colet鈔ea "Por Cima Mill魊", 2019

Deixe um recado para a autora

voltar

Maria Avelina Fuhro Gastal

E-mail: avelinagastal@hotmail.com

Clique aqui para seguir esta escritora


Pageviews desde agosto de 2020: 23022

Site desenvolvido pela Editora Metamorfose