Pausa para o amor


Maria Avelina Fuhro Gastal

Em meio ao caos, ao aumento da fome, a tantas amea鏰s democracia, a tanto discurso de 骴io vem uma data para nos lembrar da possibilidade de amar.

H alguns dias assisti na Netflix a um document醨io intitulado 揗eu amor. Em seis epis骴ios, retrata a vida de seis casais com mais de quarenta anos de conviv阯cia. O relato abrange o per韔do de 12 meses da vida cotidiana deles.

Em culturas diferentes, esses seis casais enfrentam a possibilidade mais pr髕ima de perda definitiva da parceria de uma vida, enquanto lidam com as demandas da rotina e da sobreviv阯cia econ鬽ica.

Sem grandes emo珲es, sem rompantes de novidades. A vida na sua conting阯cia e no seu ritmo. Mesmo assim, de uma ternura que nos toca.

Onde vemos rugas e flacidez, eles enxergam encantamento e beleza, onde vemos cansa鏾 e dificuldades, eles enaltecem a for鏰 e a presen鏰.

O nome do dia pode ser 揇ia dos Namorados. f醕il amar uma pele lisa, um corpo musculoso. f醕il amar quando o futuro pleno de possibilidades. f醕il amar quando o encontro programado, vestimos nossa melhor roupa, preparamos a melhor refei玢o, criamos um ambiente de romance. Como amar al閙 disso e celebrar o amor ao longo dos anos, sendo sempre namorados, mesmo que 鄐 vezes n鉶 sobre tempo nem disposi玢o para o outro?

N鉶 s o amor que muda ao longo do tempo. Muda, tamb閙, nossa expectativa do que seria amor. A rotina adia sonhos. As demandas di醨ias anestesiam desejos. O arrebatamento se esvai. Se o amor j n鉶 uma explos鉶, n鉶 quer dizer que tenha terminado. Ele se acomoda em sentimentos que nos fazem lembrar a import鈔cia do outro na nossa vida.

N鉶 tenho experi阯cia de um casamento duradouro. Deixei de ser namorada muito antes de me separar. Isso n鉶 me faz contr醨ia ao casamento, embora n鉶 tenha casado de novo.

Nos casais que admiro observo o exerc韈io de parceria, cumplicidade, admira玢o e respeito m鷗uos. S鉶 cuidadosos e atenciosos. O sil阯cio se faz por encontro, n鉶 por falta do que dizer. A perman阯cia se d por op玢o. O afastamento n鉶 amea鏰. Al閙 do casal, h a exist阯cia do indiv韉uo. N鉶 s鉶 uma s pessoa. Alternam momentos de protagonismo na rela玢o.

bom que haja um dia para nos lembrar que podemos ser importantes na vida de algu閙 e de que algu閙 pode ser importante na nossa vida. Se voc encontrou esse algu閙, celebre hoje, sem esquecer os outros trezentos e sessenta e quatro dias do ano. Sempre h um jeito de fazer valer estar juntos.

Deixe um recado para a autora

voltar

Maria Avelina Fuhro Gastal

E-mail: avelinagastal@hotmail.com

Clique aqui para seguir esta escritora


Pageviews desde agosto de 2020: 133942

Site desenvolvido pela Editora Metamorfose