N髎, mulheres


Maria Avelina Fuhro Gastal

Ela n鉶 queria mais estar com ele. Se n鉶 fosse com ele, ela n鉶 estaria com mais ningu閙. Com um 鷑ico movimento, ele atendeu ao desejo dos dois.

Tiro, facada, estrangulamento, surra, n鉶 importa. Mulheres s鉶 mortas por homens que se julgam seus propriet醨ios. Voc acredita estar a salvo? Que bom. Mas, tenha certeza de que, bem pr髕imo a voc, uma mulher pode estar muito perto de ser assassinada, pois o nosso estado o terceiro em n鷐ero de feminic韉ios em 2020. Feminic韉io, sim. N鉶 um homic韉io qualquer. a tipifica玢o de um crime cometido contra n髎 pelo simples fato de sermos mulheres.

Talvez voc ainda ache que n鉶 tem nada a ver com isso. Talvez nenhuma mulher perto de voc foi ou venha a ser v韙ima de feminic韉io. Mas voc pode realmente afirmar que n鉶 conhece nenhuma mulher que tenha sofrido viol阯cia, social ou dom閟tica? O local de maior risco para as mulheres s鉶 as suas casas ou as dos namorados.

Continua pensando que isso problema de mulheres fracas, de pouca instru玢o ou baixo n韛el social? Lembre-se que a viol阯cia n鉶 s f韘ica. Ela pode ser moral e psicol骻ica tamb閙. N鉶 sou fraca, tenho 髏ima instru玢o, sempre pertenci classe m閐ia e vivi um relacionamento abusivo. Por anos. Naquela 閜oca, procurei ajuda, e a primeira coisa que disse terapeuta foi que eu me sentia um rato. N鉶 lembro mais desse sentimento, nem imagino me sentir um rato agora, mas era assim. Pensem de quanto tempo um rato precisa para voltar a se ver como mulher e transformar a sua vida.

Se sou feminista? Venho tentando ser. Escorreguei muitas vezes. Fiz diferen鏰s entre meus filhos em fun玢o do g阯ero. E olha que eu me revoltava quando meus pais faziam isso. Cheguei a questionar o termo feminic韉io. Pensei como mais uma forma menor de tratar a mulher. Mudei. Estou mudando. Precisamos sim ter n鷐eros que denunciem a viol阯cia contra n髎. Quero ser cada vez mais feminista. N鉶 tem a ver com depila玢o, batom, r韒el ou soutien. Essas quest鮡s cada uma vive como quiser. Tem a ver com respeito, luta por igualdade, por dignidade.

O dia de hoje, 8 de mar鏾, n鉶 uma data de comemora珲es. N鉶 para sermos homenageadas ou recebermos flores. uma data de den鷑cia, de luta, que precisa ser valorizada por cada uma de n髎, ou por cada homem que respeita as mulheres, at que n鉶 seja mais necess醨ia a exist阯cia dela.

Como muitos de voc阺, eu quero um mundo sem Dia da Mulher, sem Dia da Consci阯cia Negra, sem Dia do 蚽dio, sem cotas. Mas enquanto n鉶 tivermos justi鏰 social, respeito aos direitos humanos, igualdade de condi珲es no acesso educa玢o de qualidade, distribui玢o de renda justa, vou brigar como louca pelo feminismo, pelo antirracismo, por justi鏰 e por igualdade social.

Qualquer ato que fira a outro ser humano, tem que ser um ato repudiado por todas e todos n髎.



Deixe um recado para a autora

voltar

Maria Avelina Fuhro Gastal

E-mail: avelinagastal@hotmail.com

Clique aqui para seguir esta escritora


Pageviews desde agosto de 2020: 24234

Site desenvolvido pela Editora Metamorfose