Bocado do qu?


Maria Avelina Fuhro Gastal

Se para fazer um samba bom preciso um bocado de tristeza, o que precisamos para fazer um texto bom?

Tristezas, temos de sobra. Ela est nas ruas, nas esquinas, nos notici醨ios, ocupando o Planalto Central e contaminando todo o pa韘. Se o texto falar s delas, ignora a esperan鏰. Se n鉶 falar nelas, compactua com o inaceit醰el.

Hoje, n鉶 quero escrever tristezas. Quero olhar para o mundo e ver al閙 do que eu enxergo. Mais do que dos olhos, preciso das sensa珲es, dos sentimentos. N鉶 quero descrever a natureza nem relatar encontros e desencontros. Quero no cotidiano enxergar o essencial. J que ele 搃nvis韛el aos olhos, me desarmo das certezas. Para as d鷙idas, garimpo palavras, subverto sentidos.

Escrever pode ser boiar. Mas, tamb閙, mergulhar. Mergulhar at perder o f鬺ego. Redescobrir a del韈ia em aspirar o ar. Perceber no banal a for鏰 que ignoramos. N鉶 desejar o excepcional, descuidando do trivial. O trivial a vida, sem ela, n鉶 h nada. E se tudo rima, fa鏰-se uma can玢o, uma cantiga ou uma poesia.

De que adiantam as cores da esta玢o, os sorrisos desmascarados, os abra鏾s libertados se mantivermos nosso corpo e vontades aprisionados? Se tudo ainda n鉶 passou, melhorou. Se o que temos n鉶 o normal que conhec韆mos, fa鏰mos o que for poss韛el para amenizar nossa solid鉶.

Escrever um ato solit醨io, povoado por vozes, mem髍ias, prazeres e inc鬽odos. Cansei da solid鉶. Se por dois anos ela me manteve viva, agora, me sufoca. Quero a vida al閙 da minha janela. Quero vozes, borburinhos, risadas. Quero pessoas, sorrisos, abra鏾s e toques.

Tomada de decep珲es, aus阯cias e saudades, abro espa鏾 para o inesperado, para a possibilidade do reencontro e de novos encontros. Quero um bocado de vida. Muita vida. Sem ela, n鉶 terei o que escrever. Amarga, guardarei para mim as dores que enxergo no mundo para n鉶 nutrir a dor dos que me leem.

Bocado de alegrias, de tristezas, de decep珲es, de desacertos, de conquistas, de derrotas, de vit髍ias. Bocado de outros.

Bocado de tudo que significa vida. Dele vir a escrita e a resist阯cia. Persistir, com mais leveza.

Deixe um recado para a autora

voltar

Maria Avelina Fuhro Gastal

E-mail: avelinagastal@hotmail.com

Clique aqui para seguir esta escritora


Pageviews desde agosto de 2020: 133936

Site desenvolvido pela Editora Metamorfose