Universo em clich阺


Maria Avelina Fuhro Gastal

Cheia, nova, minguante, crescente, sendo lua, me encanto. J foi comparada a um pandeiro de prata, dedicada aos enamorados, dotada de for鏰 para liberar lobisomens e bruxas. Ilustra capas de livros, de discos, emoldura cart鮡s. Mantem-se inacess韛el, mesmo depois de conquistada. Soberana na noite, nutre nossos sonhos, desejos e saudades.

dito como azul, mas mistura v醨ias tonalidades da mesma cor, quando n鉶 nos assombra vestindo-se de cinza. Al閙 das cidades, ilumina-se com as estrelas. Nele tamb閙 cabem a lua, o sol e as nuvens que vagueiam tomando formas traduzidas pela nossa possibilidade de voltar a ser crian鏰s e imaginar duendes e unic髍nios desfilando nos c閡s.

Sereno, revoltoso, frio, morno, acolhedor, enfurecido, l韒pido, opaco, tantos em abund鈔cia e possibilidades. Refresca-nos ou nos engole. Movimenta-se para manter vidas, nas ondas e revoltas traga vidas. Desrespeitado, se vinga. Mostra-se em imensid鉶 para alimentar nossa necessidade de explor-lo.

Em gotas, em pingos grossos e pesados, em volume necess醨io ou avassalador, nos traz al韛io, esperan鏰 ou destrui玢o. Nas vidra鏰s s鉶 l醙rimas, nas ruas, inimiga, nas encostas, morte.

Flores e 醨vores em profus鉶 de cores e vida, seguido de um tempo de sol escaldante e corpos expostos, que encontram refresco em dias que se tornam mais amenos, at que a pele n鉶 mais se aquece, mas arrepia-se e contrai-se para preservar o calor que j n鉶 encontra nos dias e noites.

Entramos na esta玢o do recolhimento. As folhas esmaecem em matizes at que desnudam a 醨vore enquanto cobrimos nossos corpos. Elas se preparam para novo florescer. N髎 buscamos a tenacidade para encontrar caminhos. A vida que pulsava fora precisa encontrar significados interiores.

Tentamos amarrar os ciclos em calend醨ios, ponteiros de rel骻ios, c醠culos matem醫icos. A natureza n鉶 se permite aprisionar. Um dia se faz noite, um raio de sol transpassa nuvens pesadas, a lua eclipsa-se, o sol esconde-se.

Se na escrita os clich阺 s鉶 hediondos, na vida, envolventes. Neles est o belo, o almejado, a altern鈔cia, as possibilidades, o encantamento. A natureza nos precede. Agredimos aquilo que nos permite vida. A f鷕ia n鉶 por vingan鏰, mas resposta ao descaso em n髎.

Deixe um recado para a autora

voltar

Maria Avelina Fuhro Gastal

E-mail: avelinagastal@hotmail.com

Clique aqui para seguir esta escritora


Pageviews desde agosto de 2020: 133888

Site desenvolvido pela Editora Metamorfose