Teimosia


Maria Avelina Fuhro Gastal

Sempre foi dito que o ano come鏰 em mar鏾, ou depois de carnaval. Por conflu阯cia de datas, teremos apenas uma chance para dar novo in韈io ao ano que em dois meses j mostrou a que veio.

O que deveria ser hist髍ia ressurge como amea鏰, aquilo que deveria ter sido superado permanece como marca de um presente que carrega todas as atrocidades que imagin醰amos imposs韛eis de serem repetidas.

Apesar dos avan鏾s tecnol骻icos, involu韒os. H entre n髎 enorme espa鏾 para o autoritarismo, para o preconceito, para a agress鉶.

N鉶 a resili阯cia que nos mant閙 vivos. a teimosia. Teimamos em sobreviver Covid, ao negacionismo, 鄐 amea鏰s democracia e ao risco de um conflito mundial.

Teimosos, acordamos todos os dias para cumprir as obriga珲es, seguir a rotina. Fazemos exerc韈ios, estudamos, lemos, estabelecemos metas, fazemos planos, sonhamos mesmo que as not韈ias nos bombardeiem. Admiramos as cores do dia, a exuber鈔cia da natureza, o espet醕ulo do p魊-do-sol, apesar das imagens de guerra. Um gesto de carinho nos toca, insignificante frente a tantos mal tratos sofridos por quem est na rua. O riso e as descobertas das crian鏰s nos acalmam, at que enxerguemos as que est鉶 nas sinaleiras ou embaixo dos pontilh鮡s.

Vamos buscando pontas de al韛io. Contamos os dias para o fim de v醨ios pesadelos. Alguns com data marcada para que possam terminar, outros, uma proje玢o de esperan鏰.

Eu resolvi plantar. Flores para trazer cor em meio aos tantos verdes que tenho pela casa. Pode parecer banal, mas, para mim, um ato supremo de teimosia. Nunca gostei de mexer na terra, nada do que eu planto d. Comprei terra, seixos, flores resistentes, segui as orienta珲es da floricultura e plantei em onze vasinhos, h duas semanas. Dez passam bem, uma requer cuidados. Talvez seja mais fr醙il, talvez mais sens韛el. O cuidado depende do reconhecimento das diferen鏰s e especificidades. N鉶 sei se conseguirei salv-la, mas enquanto ela demonstrar teimosia em permanecer viva, farei o que for poss韛el.

Gosto, ao chegar da caminhada, olhar para cima e ver a minha janela exibindo-se em cores. Elas n鉶 mudam o mundo, mas me ajudam a continuar teimando.


Deixe um recado para a autora

voltar

Maria Avelina Fuhro Gastal

E-mail: avelinagastal@hotmail.com

Clique aqui para seguir esta escritora


Pageviews desde agosto de 2020: 133934

Site desenvolvido pela Editora Metamorfose