Crach pr関io virtual


Maria Avelina Fuhro Gastal

No m韓imo, um ano e meio, em alguns casos, dois anos. Esses s鉶 os tempos transcorridos desde a 鷏tima vez que encontrei familiares e amigos.

Com a segunda dose da vacina e a amplia玢o do calend醨io para faixas et醨ias mais baixas, a possibilidade de encontro ou reencontro ganha ares de sonho poss韛el. Seja em pra鏰s, parques, ou qualquer ambiente aberto, estar com as pessoas passa a ser um pouco menos assustador. Confesso que ainda tenho medo, mas o isolamento e as aus阯cias t阭 pesado mais do que o temor.

Para evitar surpresas, antecipo que esse tempo cobrou seu pre鏾. H rugas que n鉶 existiam. Por sorte, a m醩cara oculta o c骴igo de barras nos l醔ios, mas, por outro lado, me impede de arriscar o batom vermelho.

Estou grisalha e crespa. Sim, meus cabelos sempre foram crespos, embora nem eu lembrasse mais como eram. Foram anos de truques, qu韒ica e desespero para fazer com que parecessem, se n鉶 lisos, pelos menos jeitosos e menos volumosos. Touca com 600 grampos, meia de nylon para segurar os grampos durante a noite, alisamento qu韒ico que torrava o couro cabeludo, escova, chapinha, relaxamento, selagem t閞mica, escova definitiva e, no fim, cabelo preso na maior parte do tempo.

Pior foram todos os banhos de mar e piscina evitados para n鉶 detonar o efeito liso ou parar de dan鏰r porque transpirar encrespava o cabelo. Neblina, banho de chuva, dia 鷐ido, jato de mangueira, todos inimigos imbat韛eis. Uma vida guiada pela obstina玢o de n鉶 ser o que eu era, crespa.

Cansei. Danem-se as expectativas, a imposi玢o de modelos. Se no in韈io foi por pregui鏰 de secar o cabelo a cada lavagem para ficar isolada em casa at ter que lavar o cabelo de novo, e de novo, se a impossibilidade de ir a um sal鉶 impediu que continuasse enchendo meus cabelos de qu韒ica, com o tempo, j t鉶 longo nesta pandemia, passei a deixar meus cabelos ao natural. Junto com os cachos, vieram os fios grisalhos. Primeiro, sem alternativa para cobri-los, depois com uma aceita玢o da presen鏰 deles.

N鉶 sei se teria acontecido sem a perman阯cia em casa, isolada por tanto tempo. De alguma forma, todas as coisas passaram a ter um outro significado. E a ressignifica玢o tem passado por um processo de descobertas, de aceita玢o, de valoriza玢o do que me essencial. N鉶 quero que o medo de transpirar para n鉶 encrespar os cabelos me impe鏰 de dan鏰r. Quero banhos de piscina, de mar e de chuva. Quero a vida de volta com todas as possibilidades, sem limites bobos que me impe鏰m de mergulhar nela.

Se quando me encontrar com voc阺 eu estiver de cabelos presos, saibam que ele acordou com vontade pr髉ria e tive que dom-lo. Ele n鉶 vai mais tolher minha vontade de estar com voc阺. Fa鏰 chuva ou fa鏰 sol.



Deixe um recado para a autora

voltar

Maria Avelina Fuhro Gastal

E-mail: avelinagastal@hotmail.com

Clique aqui para seguir esta escritora


Pageviews desde agosto de 2020: 85202

Site desenvolvido pela Editora Metamorfose