Prazer. Idiota.


Maria Avelina Fuhro Gastal

Idiota com 搃 mai鷖culo. Feliz com o reconhecimento de que n鉶 sou c鷐plice do inomin醰el, eleito para a presid阯cia do pa韘, que alimenta o v韗us e as mortes por prazer doentio.

Estou cercada por idiotas. dist鈔cia nos apoiamos e nos cuidamos. Somos importantes uns para os outros e n鉶 queremos colocar ningu閙 em risco. Juntos lamentamos a morte de tantos, a falta de vacinas, a pervers鉶 presidencial e dos seus seguidores.

Entendemos a impossibilidade de alguns para permanecerem em casa. Saem para trabalhar, em transportes p鷅licos lotados, sem a op玢o de adquirir m醩caras mais indicadas para prevenir o cont醙io. A popula玢o est desassistida, exposta doen鏰, fome, ao desemprego, desesperan鏰.

Entre n髎 h Idiotas raiz. Enxergam os problemas do Brasil, querem solu珲es para a desigualdade social, acreditam na Ci阯cia, discutem pol韙ica, valorizam a educa玢o, buscam informa珲es, que v鉶 al閙 do notici醨io de televis鉶 ou redes sociais, e leem para formar opini鉶 e fazer escolhas. O espectro ideol骻ico amplo. De comum, todos sabem que defender a vida e a justi鏰 social n鉶 comunismo. Ningu閙 vai perder a casa por votar na esquerda, mais f醕il perder para o sistema que a financia. Nem toda a direita desumana ou fascista e deixa o povo entregue morte. Discordamos dos caminhos e meios para alcan鏰r um pa韘 que respeite a dignidade da vida humana. Isso democr醫ico e civilizado.

H, ainda, aqueles que sentem terem sido feitos de idiotas. Votaram 17 e se arrependem. De surpresa, a pandemia, mas a conduta presidencial era promessa no discurso de 骴io, nos dedos em posi玢o de arminha como s韒bolo de campanha pol韙ica, na fuga dos debates, na apologia tortura, na nega玢o da ditadura militar, no desrespeito 鄐 mulheres, aos gays, aos 韓dios, aos negros, no descaso com o meio ambiente. Ningu閙 foi enganado. Se h algo admir醰el 搉ele a coer阯cia entre discurso e pr醫ica. Sempre escroto.

Outros s鉶 os idiotas sem op玢o. Temem o cont醙io, sabem dos riscos, est鉶 longe de serem imunizados, mas precisam sair para garantir a pr髕ima refei玢o, seja trabalhando ou buscando qualquer forma de ter um m韓imo de dinheiro para o p鉶 do dia.

Acredito que temos um n鷐ero maior de idiotas do que de c鷐plices. Quantidade suficiente de idiotas para nos livrarmos do monstro que nos (des) governa. Aprendemos, ao custo de um n鷐ero absurdo de mortes, de aumento da desigualdade social, de um desmatamento nunca visto, que o candidato pode representar o negacionismo, a supremacia branca e masculina, a intoler鈔cia, a amea鏰 democracia, a desvaloriza玢o da vida, mas s ser eleito se n髎 dermos o voto. N鉶 h possibilidade de nos eximirmos da culpa pelo que est acontecendo, mas h a chance de reconhecermos a nossa falha e votar com responsabilidade c韛ica, social e moral.

Idiotas do Brasil, n鉶 estamos s髎. Temos poder para mudar a Hist髍ia e voltar a sentir orgulho de sermos brasileiros. A briga, agora, n鉶 deve ser entre n髎, mas contra eles.

Deixe um recado para a autora

voltar

Maria Avelina Fuhro Gastal

E-mail: avelinagastal@hotmail.com

Clique aqui para seguir esta escritora


Pageviews desde agosto de 2020: 68626

Site desenvolvido pela Editora Metamorfose