O que fa鏾 com Alfred?


Maria Avelina Fuhro Gastal

Noite de Oscar e eu sem ter assistido a nenhum dos filmes indicados. Resisto a filmes na televis鉶. Sou daquelas chatas que n鉶 troca a tela do cinema por nada. Em tempos de pandemia, burrice, no m韓imo.

Mas a cerim鬾ia de entrega do Oscar sempre foi mais do que acompanhar a divulga玢o dos premiados. Antes, reun韆mos na casa dos meus pais para acompanhar a transmiss鉶, nos 鷏timos anos, a reuni鉶 acontecia na minha casa. Filhos, sobrinhos, namorados, at mesmo os cachorros da fam韑ia, reunidos na churrasqueira e na sala, dividindo coment醨ios sobre os indicados entre hamburgers, sopas, cachorros-quentes, ou qualquer coisa que invent醩semos.

N鉶 bastasse estar sozinha para assistir, saber ainda menos do que a Gl髍ia Pires sobre os indicados, h dois meses reduzi o meu plano de TV por assinatura. Estava assistindo h uma hora quando entrou uma mensagem na tela alertando que era uma degusta玢o, para continuar com acesso deveria ampliar meu plano. Desisti.

Sem Oscar, lembrei do Alfred. Antes t鉶 presente na minha vida, h um ano n鉶 sabia nada dele. Me enchi de saudades, bastaria pegar o celular, mas, para que? Acho que temi constatar que, talvez, n鉶 tivesse resistido Covid.

Sil阯cios e aus阯cias t阭 nos causado preocupa珲es. Afastamentos antes tolerados, ganham for鏰 de mau press醙io. Queremos saber como as pessoas est鉶. Azar se n鉶 nos t阭 como indispens醰eis, contanto que estejam vivas, e bem, nem que seja para continuarmos praguejando contra elas.

Depois de um ano, a repeti玢o dos meses sem melhora da situa玢o, nos obriga a pensar em que vida normal teremos a seguir. A que viv韆mos ganha dist鈔cia, quase n鉶 a reconhecemos mais como poss韛el. Adapta玢o me assusta, parece uma acomoda玢o resignada. Adequa玢o me soa mais ativa, algo como buscar outras formas poss韛eis. Adaptada, aceitaria viver atrav閟 de telas e janelas, saudosa de tudo aquilo que n鉶 poss韛el; adequada, enfrento a nova realidade e torno poss韛eis novas formas de estar na vida. Adapta玢o seria derrota, adequa玢o, resist阯cia.

E onde fica o Alfred nisso tudo? Deixa l, quieto por enquanto. O espa鏾 que ocupa na mem髍ia do meu celular insignificante frente ao espa鏾 que ocupa na minha mem髍ia. Talvez um dia nos reencontremos e eu volte a acess-lo para saber a programa玢o dos cinemas e a avalia玢o dos filmes, ou constate que ele deixou de existir. N鉶 serei eu a respons醰el por delet-lo. At l, eu que supere a minha teimosia, assista aos filmes na televis鉶 e amplie minha assinatura de TV paga para a noite do Oscar. No dia seguinte, cancelo. Quanto casa vazia, n鉶 me adapto, n鉶 sei como me adequar.

Deixe um recado para a autora

voltar

Maria Avelina Fuhro Gastal

E-mail: avelinagastal@hotmail.com

Clique aqui para seguir esta escritora


Pageviews desde agosto de 2020: 61493

Site desenvolvido pela Editora Metamorfose