耼coras


Maria Avelina Fuhro Gastal

Mudou o ano, a C鈓ara de Vereadores e o prefeito. O ran鏾 ao que j vimos pode esperar. Neste momento, quero vibrar positivo em 2021.

Primeiro fim de semana do novo ano. Calor suport醰el, c閡 azul, brisa suave. Claro que d vontade de aglomerar, estar com amigos, familiares, na beira da praia, na piscina, no p醫io, nos parques, na sala de casa. Colocar o p na areia e o pensamento nas nuvens, deixar as ondas afagar os dedos, gelar as canelas aquecidas pelo sol. Mas n鉶 d, ainda n鉶. Esperemos a vacina, as seringas, a responsabilidade pol韙ica, pressionando, sem causar em n髎 mais ang鷖tia do que j temos.

Por aqueles que ignoram a pandemia, as mortes nutro dois sentimentos: de pena por serem t鉶 vazios e mesquinhos, de raiva por serem t鉶 ego韘tas e desumanos. Deles quero dist鈔cia, n鉶 s para evitar o cont醙io da COVID-19, mas, principalmente, porque os desprezo.

Continuamos, n鉶 por ser covardes, mas por sermos 閠icos e civilizados, quietinhos no nosso distanciamento repleto de saudades e desejos e vamos inventando o que poss韛el para nos mantermos inteiros. Estamos no segundo dia de 2021, muitos outros ainda vir鉶 antes da nossa liberdade condicional, a vantagem que j temos know how e encontramos aspectos e for鏰 em n髎, at ent鉶, adormecidos.

Por isso, ano passado revisitei Paris. Voltei os olhos para as narrativas da cidade. Descobri nos nomes das ruas personagens esquecidos da hist髍ia, vi placas em constru珲es que n鉶 tinha percebido ao passar por elas em 2014. Na Rue de Rivoli, as marcas de balas da Segunda Guerra Mundial cravadas no cimento como lembran鏰 para que nunca esque鏰mos o terror. Conheci mulheres que estiveram frente na Revolu玢o Francesa e t阭 o nome apagado na hist髍ia oficial. Revisitei museus, vi o que os meus olhos n鉶 haviam enxergado, andei por outros que jamais pisei. Flanei pela Paris de Hemingway, de Vitor Hugo, estive nos lugares em que eles estiveram, busquei neles inspira玢o para me tornar escritora. Relaxei em Giverny, deixei que Monet tornasse minha vida mais leve, com tra鏾s n鉶 definidos, aproveitando os efeitos de luz e cor ao longo dos dias.

Estive no Egito, na Gr閏ia, em Roma, no interior da It醠ia, nas matas brasileiras, nas tribos ind韌enas, nas expedi珲es portuguesas, nas invas鮡s francesas e holandesas no Brasil. Ouvi fil髎ofos, discordei de alguns, me surpreendi com outros. Aprendi com os 韓dios o respeito terra, me envergonhei do legado europeu. Senti chibatadas, o ch鉶 frio e 鷐ido das senzalas, a for鏰 de luta de um povo escravizado por sua liberdade.

Nos Estados Unidos me esforcei para entender Robert Redford. N鉶 foi f醕il, talvez tenha perdido muito do que foi dito, mas compensei a lacuna apenas olhando para ele. Com de Niro fluiu melhor, mas foi J. Lo quem me fez sentir mais segura nos di醠ogos. N鉶 saberia dizer como ela diz, mas entendia tudo. H esperan鏰.

Terminei o ano no Oriente M閐io. Preciso voltar muitas vezes, abandonar minha compreens鉶 ocidental e branca do mundo para poder entend-los. Avancei ao perceber a diferen鏰 entre vis鉶 religiosa mu鐄lmana e projeto de poder mu鐄lmano. Constatei que n髎, brasileiros, temos um longo caminho para alcan鏰r a compreens鉶 de laicidade na organiza玢o social e pol韙ica.

Afastada de tudo que me importante, me aproximei daquilo que gosto. Passei 2020 mergulhada em Hist髍ia, Hist髍ia da Arte, Literatura, Teoria Liter醨ia, Filosofia, ingl阺, escrita e leitura. As aulas, lives, cursos tempor醨ios, livros, ensaios costuravam-se entre si aumentando meu repert髍io de mundo, de conhecimento e, por conseguinte, inevit醰eis questionamentos. Deparei-me com minha branquitude, com minha ignor鈔cia, com meus preconceitos e limita珲es. Mas aplacaram minha solid鉶 e me possibilitaram acreditar na possibilidade de, ao rever o mundo, enxerg-lo com outros olhos.

Costumava brincar que queria ser presa para ter tempo para ler. Nesse ano de pris鉶 domiciliar, li muito, reli v醨ios, aumentei muito mais a lista dos livros a ler. Aceitei essa realidade como meu destino no mundo. Tamb閙 escrevi muito, percebi o quanto preciso disso. Talvez eu seja melhor com a palavra escrita do que com a falada, pelo menos d tempo de arrumar antes de soltar para o mundo. At me arrisquei a ministrar uma mini oficina de escrita criativa on line e, adorei.

Compensei as horas sentada com atividades f韘icas on line. Experimentei o sentido completo de 搈ente sana corpore sano, sem prescindir das sess鮡s semanais de psican醠ise, por telefone, sem v韉eo, o que me pareceu mais pr髕imo ao div, que tanto resisti e hoje n鉶 abro m鉶.

Tudo s foi poss韛el porque institui珲es e profissionais se reinventaram. Precisavam se manter, mas fizeram isso com um desdobramento afetivo e acolhedor. Se estamos horrorizados com alguns comportamentos inaceit醰eis na sociedade, temos que valorizar aqueles que prezam a vida humana e respeitam as pessoas e seus sofrimentos. A todos voc阺, meu muito obrigada por me ajudar a passar por 2020 sem tantas sequelas.

Ainda vai levar um tempo para podermos estar juntos, ent鉶, se quiserem viver algumas dessas experi阯cias, vou colocar aqui a lista com os lugares e profissionais que oportunizam atividades prazerosas, a dist鈔cia, e os livros que li. Li, tamb閙, contos, cr鬾icas e ensaios dispersos que n鉶 est鉶 na listagem, mas, alguns, tenho em PDF.


Oficinas de escrita criativa:
@gogideias (Instagram)
@oficinasantasede (Instagram)

Literatura:
@studioclio (Instagram) com o professor Luis Augusto Fischer

Teoria liter醨ia
Professor Guto Leite
@casamundi com a professora Gabriela Silva

Hist髍ia da Arte
@andredorigo (Instagram)

Hist髍ia
@parisdehist髍ias (Instagram)

Ingl阺:
Professora Ana Petrilli

Atividade f韘ica
Pilates: Professora Ana Cristina Teixeira
@curvesmeninodeus (Instagram)
@vivaclubmaturidadeelazer (Instagram)

Filosofia:
@novo_liceu (Instagram)


Livros lidos em 2020:

Quatro Negros - Luis Augusto Fischer.
O V閡 Erguido - George Eliot
Mulheres e ca鏰 鄐 bruxas- Silvia Federici
A paix鉶 segundo GH - Clarice Lispector
Macuna韒a - M醨io de Andrade
Um teto todo seu - Virg韓ia Woolf
Do que feita a ma玢- Am髎 Oz com A hora Hadad
Testamentos - Margaret Atwood
Mel e Dend - F醫ima Farias
Os cus de Judas - Ant鬾io Antunes
F鷕ia - Silvana Ocampo
50 Contos Machado de Assis selecionados por John Gledson
O Jogo da Amarelinha J鷏io Cort醶ar
Paris uma festa - Hemingway
A rid韈ula ideia de nunca mais te ver - Rosa Montero
O T鷑el - S醔ato
Lavoura Arcaica - Raduan Nassar
Pequeno manual antirracista - Djamila Ribeiro
A inven玢o de Morel - Adolf Bioy Casares
Dom Casmurro - Machado de Assis
Vila Sapo - Jos Falero
Casa dos Esp韗itos Isabel Allende
Eichmann em Jerusal閙- Um relato sobre a banalidade do mal. Hannah Arendt
Niketche - uma hist髍ia de poligamia - Paulina Chiziane
A origem dos outros. Seis ensaios sobre racismo e literatura. Toni Morrison
Mulheres empilhadas- Patr韈ia Melo
Plat鉶 Apologia de S骳rates - Tradu玢o de Maria Lacerda de Moura - Cl醩sicos de bolso Ediouro Publica珲es.
Aura - Carlos Fuentes
Formas de voltar para casa. - Alejandro Zambria
A hora da estrela Clarice Lispector
La鏾s de fam韑ia Clarice Lispector
Todas as cr鬾icas Clarice Lispector
A seus p閟 - Ana Cristina C閟ar
Adeus 鄐 armas - Ernest Hemingway
A lua vem da 羢ia - Campos de Carvalho
O amor nos tempos do c髄era- Gabriel Garcia M醨quez
Ainda que a terra se abra- Rodrigo Tavares
Minha hist髍ia - Michelle Obama
Mem髍ias P髎tumas de Br醩 Cubas - Machado de Assis
S醔ado - Ian McEwan
Noite - 蓃ico Verissimo
Atr醩 da cortina - Fernanda Mellwe
Calib e a bruxa - S韑via Federici
A ocupa玢o - Julian Fuks
O avesso da pele - J閒erson Ten髍io
Modos inacabados de morrer - Andr Timm
M鬾ica vai jantar - Davi Boaventura
Aqui dentro - Nath醠ia Protazio
Marrom e Amarelo - Paulo Scott
L鷆ia McCartney - Rubem Fonseca
Para diminuir a febre de sentir - Dalva Maria Soarez
A vida mentirosa dos adultos - Elena Ferrante
Entre outras mil - Rochele Bagatini
Os supridores - Jos Falero
Lauren - Irka Barrios
Setenta - Henrique Schneider
Olhos d'醙ua - Concei玢o Evaristo
Assim falou Zaratustra - Friederic Nietzsche
Cartas a Vitor Hugo - Louise Michel
Quarto de Despejo - Carolina Maria de Jesus
O Duplo: em busca de si-mesmo - Berenice Sica Lamas
Psicografadas - colet鈔ea v醨ias autoras

Iniciei, larguei, retomei, n鉶 consigo embalar: Mulheres que correm com lobos
Li mais um livro, que n鉶 posso referir t韙ulo e autor, pois ser lan鏰do este ano. Muito bom. Aguardem.


Deixe um recado para a autora

voltar

Maria Avelina Fuhro Gastal

E-mail: avelinagastal@hotmail.com

Clique aqui para seguir esta escritora


Pageviews desde agosto de 2020: 61414

Site desenvolvido pela Editora Metamorfose