Passos de tartaruga


Maria Avelina Fuhro Gastal

Considerando os 鷏timos sete meses e meio, vivi sete dias de alento entre 31 de outubro e 7 de novembro.

No s醔ado, dia 31, foi o lan鏰mento do meu segundo livro de contos 揈cos e Sussurros como programa玢o na Feira do Livro 2020. Toda on line. Lan鏰r um livro em uma live foi assustador, mas topei o desafio. E n鉶 me arrependo. Tenho tido bons retornos sobre o lan鏰mento, v醨ios pedidos para aquisi玢o do livro e, daqueles que j receberam, apesar da morosidade dos Correios, e j iniciaram a leitura, avalia珲es positivas sobre o livro. Se n鉶 foi como planejei quando h dois anos dei in韈io a organiza玢o e escritura dos contos, foi um nocaute sensa玢o de tempo de vida roubado.

De 3 a 7 de novembro, aceitei o convite do meu filho mais velho para passar uns dias em uma casa isolada das demais em uma pousada na Praia do Rosa. Evitamos o feriad鉶, voltamos na manh de s醔ado para evitar aglomera珲es. Cinco dias com ele, com minha nora e minha neta, antes da chegada do Miguel, muito mais do que tivemos nos 鷏timos meses. N鉶 perderia essa oportunidade por nada. Porto Alegre Praia do Rosa com apenas uma parada no caminho. Pode ser tranquilo para voc, mas imagine para uma gestante de quase 32 semanas, sentada por quatro horas com um beb que promete ser grande apertando a bexiga, e para uma crian鏰 de seis anos amarrada em uma cadeira. Come鏰mos a brincar na sa韉a, inventamos jogos, desenhamos, criamos hist髍ias, lemos nuvens. O tempo de afastamento nos encheu de saudades, toda possibilidade de fazermos algo juntas virou festa. Na praia, 韆mos de casa para o mar e volt醰amos. Sem parquinho, restaurantes, centrinho ou passeios nas cidades pr髕imas. Escalamos pedras, fizemos trilhas, constru韒os castelos, catamos conchas, fugimos das ondas. Em casa, brincamos, desenhamos, viramos personagens de hist髍ias, inventamos maquiagens e figurinos, encenamos as fantasias dela.

Na estrada de volta para Porto Alegre, soubemos da vit髍ia de Joe Biden e Kamala Harris nas elei珲es para a presid阯cia dos Estados Unidos. N鉶 pouco. A xenofobia, o negacionismo, o racismo, a misoginia, o machismo, a intoler鈔cia, a perversidade, a arrog鈔cia, a loucura foram derrotadas. Mas o resultado mostra o quanto h de seguidores do impens醰el. Tanto l, quanto aqui. Por閙, sinaliza que poss韛el derrot-los.

Vivemos em um mundo onde, apesar do uso de m醩caras para evitar o cont醙io, as m醩caras humanas ca韗am. Estamos cercados de pessoas que pensam como Trump, que defendem Bolsonaro. muito mais do que termos conservadorismo entre n髎. nos depararmos com fascismo, com a defesa da explora玢o, da persegui玢o, do exterm韓io.

Temos mais dois anos at a elei玢o presidencial no Brasil e, pelo menos, mais um ano de pandemia.

Podemos odiar, mas aprendemos a conviver com as m醩caras que nos cobrem nariz e boca, com o distanciamento que nos impede de estarmos pr髕imos de quem amamos, com as aulas em plataformas on line, com as lives para shows, palestras e lan鏰mentos de livros. Aprendemos a estar de forma cautelosa, em pequenos grupos. muito longe do que realmente queremos, mas o que nos permite permanecermos vivos at que haja vacina ou tratamento para a Covid-19.

E em 2022, quem queremos para presidente do Brasil? N鉶 creio que pensar dessa forma impe鏰 a reelei玢o de Bolsonaro. Talvez tenhamos que firmar a convic玢o de que n鉶 o queremos reeleito. Se essa nos deixa longe da nossa escolha original, pelo menos pode nos aproximar da possibilidade de tamb閙 aqui derrotar a xenofobia, o negacionismo, o racismo, a misoginia, o machismo, a intoler鈔cia, a perversidade, a arrog鈔cia, a loucura.

Temos um tempo precioso pela frente. Podemos avan鏰r para a derrota dele, mesmo que seja um passo de tartaruga, ou podemos firmar posi珲es e avan鏰r em passos de lebre rumo ao abismo.

Vivemos um per韔do em que estrat間ias s鉶 necess醨ias para termos um pouco daquilo que sempre valorizamos. Precisamos abrir m鉶 da casa cheia de amigos e familiares, encontros em bares, restaurantes e de vida social como conhec韆mos.

Nas pr髕imas elei珲es, precisamos de estrat間ias, tamb閙. Reencontrarmos uma forma de di醠ogo, sob pena de nos livrarmos da pandemia, mas n鉶 do Bolsonaro.


Deixe um recado para a autora

voltar

Maria Avelina Fuhro Gastal

E-mail: avelinagastal@hotmail.com

Clique aqui para seguir esta escritora


Pageviews desde agosto de 2020: 61566

Site desenvolvido pela Editora Metamorfose