Constata珲es (e pira珲es) na quarentena 4


Maria Avelina Fuhro Gastal

Domingo nunca foi unanimidade. 觗io, paix鉶, indiferen鏰 fazem parte dos argumentos nas discuss鮡s calorosas que temos sobre esse dia da semana. T韓hamos. Nestes dias empilhados, sem formas, diferen鏰s ou expectativas, vamos de domingo a domingo como d, sem ter ideia do dia em que estamos a n鉶 ser pelos boletos que continuam vencendo nas datas marcadas.

Pois hoje resolvi resgatar um certo ar de normalidade no caos. domingo, tem sol e estamos vivos. Ent鉶, nada s閞io aqui. Sem pesquisa, sem taxa玢o, sem amargura, sem desesperan鏰.

Aposto na criatividade, na oportunidade na crise, mesmo que clich. Clich阺 enquadram nossas vidas no reconhecido, um alento a tantas d鷙idas.

Como minha destreza manual a de um jacar jogando t阯is, mas minha cabe鏰 tem a atividade de um formigueiro espera do inverno, tenho uma incapacidade total de transformar ideias em objetos pr醫icos. As palavras me salvam, ent鉶, atrav閟 delas, tentarei dar voz a possibilidades de solu珲es para problemas pr醫icos que poder鉶 servir aos talentosos em design. J antecipo que n鉶 exigirei direito de propriedade das ideias. Elas ocupam tanto espa鏾 que bom me livrar de algumas.

A primeira sugest鉶 tem at nome, Palinete. Seria uma adapta玢o do cotonete, s com pontas pontiagudas e uma fina camada de algod鉶. Com o Palinete limpar韆mos todos os frisos, entranhas, curvas e rebuscados de m髒eis, utens韑ios, portas e outros mais. Para evitar acidentes, a embalagem poderia ser preta, com o desenho de um ouvido dentro de um c韗culo vermelho com uma linha atravessada em cima. Caberia a advert阯cia 揚ode causar surdez. Risco baixo, consideradas as advert阯cias nos ma鏾s de cigarro e com a vantagem de n鉶 provocar morte, c鈔cer ou impot阯cia.

Vidros remov韛eis. Facilmente retirados das janelas, recolocados ap髎 a limpeza sem que se corra o risco de virar meleca na cal鏰da tentando alcan鏰r a sujeira que fica no canto extremo, onde nosso bra鏾 n鉶 chega. Na mesma linha, venezianas ou persianas auto reversas, que possibilitariam limpar o lado externo delas e redes de prote玢o retr醫eis. Enquanto n鉶 tivermos substitu韉o nossos vidros pelos remov韛eis, a m鉶 n鉶 ficaria presa entre a janela e a rede e diminuiria, consideravelmente, o n鷐ero de panos e esponjas que despencam na rua durante os movimentos desajeitados para a tentativa de liberta玢o da m鉶 e bra鏾 (sim, o bra鏾 acaba envolvido).

Inclus鉶 de rodinhas deslizantes, com travas, na base de sof醩, estantes, poltronas, geladeira, fog鉶, camas, c鬽odas ou em qualquer m髒el que pese mais do que temos for鏰, ou saco, para arrastar. Se em alguns casos teriam de ser rodas de carro鏰, desisto de achar solu玢o. N鉶 vou por problemas na cabe鏰 em vez de me livrar deles. Al閙 disso, designers t阭 as solu珲es. Eu trago apenas a dura realidade e suas idiossincrasias.

Para o banheiro, poucas sugest鮡s, mas vitais. Com rela玢o ao box, duas alternativas: ou inventam um jeito de n鉶 ficar uma linha comum entre as duas portas que correm nos trilhos, ou criam um instrumento de limpeza que entre naquele espa鏾. Por enquanto, adaptei uma r間ua de 15 cent韒etros. Recortei uma esponja em uma camada bem fina, colei na ponta da r間ua, e uso esse instrumento para limpar o espa鏾 que, n鉶 importa para que lado se tente correr as portas, sempre resta indispon韛el para a limpeza. Tive, j, alguns imprevistos, superados com facas ou tesouras para liberar a esponja que se desprendeu da r間ua e ficou entalada entre as portas. A outra sugest鉶 mais um desabafo, n鉶 acredito que em pleno s閏ulo XXI n鉶 exista nada melhor do que rejunte para unir os azulejos. Haja escovinha, clorofina e paci阯cia para mant-lo, minimamente, brancos. Se foi por reserva de mercado feita pelos fabricantes de 醙ua sanit醨ia, eles podem relaxar. Nunca se usou tanto dela na tentativa de manter o v韗us fora de nossas casas, bocas e est鬽agos. Superem o rejunte.

Por fim, sem querer estabelecer um padr鉶, afinal est mais do que provado no nosso pa韘 que h gosto para tudo, sugiro o lan鏰mento de linhas para o lar totalmente clean. Depois de cento e cinquenta dias com olhos s para a minha casa, trocaria tudo por m髒eis e aparelhos eletrodom閟ticos sem nervuras, reentr鈔cias, curvas, buracos, frestas, frisos ou qualquer merda que junte p. Quanto cor, aquela que acolhesse a sujeira sem denunci-la.

Bom Fant醩tico para quem ainda suporta e uma semana de menos horrores e absurdos para todos.

Deixe um recado para a autora

voltar

Maria Avelina Fuhro Gastal

E-mail: avelinagastal@hotmail.com

Clique aqui para seguir esta escritora


Pageviews desde agosto de 2020: 24202

Site desenvolvido pela Editora Metamorfose