Como fugir da chuva entrando nela


Maria Avelina Fuhro Gastal

Continua chovendo sem parar. Se voc n鉶 aguenta mais dar adeus 鄐 gotas que aparecem no alto da esquadria, n鉶 v mais poesia na queda e s pensa em adiantar a morte delas esmagando-as sem d, talvez seja a hora de sair da janela e entrar na chuva.

Estar na chuva tem suas vantagens. Se o t閐io possibilitou que sua imagina玢o se voltasse a voc mesmo e isto lhe provocou vontade de chorar, na chuva n鉶 h necessidade de cobrir o rosto para esconder as l醙rimas, nem sua vontade precisa ficar restrita dura玢o m閐ia do choro de tr阺 minutos. Saia sem prote玢o alguma sobre a cabe鏰 para que chuva e pranto se misturem naturalmente.

Mas se o caso n鉶 de choro, somente de t閐io, procure um casaco adequado, vista-o e, se n鉶 for crian鏰, dispense o capuz. H protetores mais dignos para sua cabe鏰.

Se voc j superou a ditadura social das quest鮡s de g阯ero, tanto faz escolher um guarda-chuva ou uma sombrinha. N鉶 se deixe enganar pela nomenclatura. Com o guarda-chuva voc n鉶 voltar para casa com um estoque de chuva para uso em tempos de seca. Apesar do nome, ele n鉶 cont閙 reservat髍io para tal fim. Quanto sombrinha, salvo em raras exce珲es onde o sol e a chuva passeiam juntos, ela cumpre a mesma finalidade do guarda-chuva. J h movimentos em busca da equidade na designa玢o, sem a conota玢o sexista. Avan鏾s j foram conquistados na apar阯cia. Tanto um, como o outro, podem ser grandes ou pequenos, manuais ou autom醫icos, com cabo finalizado em uma interroga玢o ou em um cilindro curto, com cerca seis cent韒etros, quase sempre em alum韓io, com uma empunhadura adequada m鉶 humana. Ainda n鉶 desenvolveram modelos adequados 鄐 patas dos pets. Diferem basicamente nas caracter韘ticas sexistas, mantendo-se os guarda-chuvas em cores austeras e cabo f醠ico mais grosso, enquanto as sombrinhas variam entre as cores neutras, em qualquer tom, at as mais floridas, coloridas, quadriculadas, berrantes ou escandalosas. O cabo apresenta-se mais fr醙il, adequado imagem feminina que ainda persiste na sociedade.


Escolhido o objeto para prote玢o, siga as instru珲es a seguir antes de entrar na chuva. Deteremos nossas informa珲es quanto ao correto procedimento para obten玢o do melhor resultado. As regras aplicam-se a ambos. Se o objeto escolhido for do tipo manual, facilmente reconhec韛el por n鉶 haver nenhum bot鉶 para acionamento, posicione o seu ded鉶 sobre a lingueta existente no cabo, logo abaixo do cilindro j referido ou da parte final do ponto de interroga玢o, considerando para tanto a parte n鉶 curva. Com a m鉶 do outro ded鉶 segure com firmeza o cabo. Pressione o ded鉶 na lingueta e empurre o bra鏾 todo em dire玢o a ele, enquanto a m鉶 do outro ded鉶 mant閙-se pr髕ima ao seu corpo, podendo ser apoiada no abd鬽en, que quanto mais avantajado mais suporte oferece. Atingido o ponto m醲imo de extens鉶 do bra鏾 que empurra o ded鉶, certifique-se de sentir uma press鉶 ou ouvir um clic de travamento, cuidando para que a parte inferior do ded鉶 n鉶 tenha sido apreendida junto ao objeto, o que pode causar desconforto moment鈔eo e at sangramentos. Tendo tudo ocorrido dentro da normalidade, recolha o bra鏾 do ded鉶 e sinta-se livre para que ele dirija, agora toda a m鉶, para o bolso ou descanse ao lado do seu corpo. A m鉶 do outro ded鉶 que estava pr髕ima ao seu corpo, provavelmente repousada em sua barriga, deve agora ser empurrada pelo bra鏾 para que se estenda ao mesmo tempo que faz um giro de trinta graus, colocando sobre a sua cabe鏰 o pano estendido do objeto escolhido. O bra鏾 deve ser mantido na posi玢o de L ao contr醨io, como se a base da letra estivesse voltada para seu ombro, em uma altura confort醰el para que o objeto n鉶 lhe machuque a testa ou a cabe鏰. No caso dos autom醫icos, apenas um ded鉶, uma m鉶 e um bra鏾 s鉶 necess醨ios para o procedimento. Posicione o ded鉶 no bot鉶 que est posicionado no cabo, pressione e ele abrir, trancando-se automaticamente. Mas aten玢o, ao contr醨io dos manuais, mantenha, com o aux韑io do bra鏾, o ded鉶 bem distante do seu corpo, de prefer阯cia usando para tanto toda a extens鉶 do bra鏾. Aberto o objeto, proceda para coloc-lo em uso da mesma forma detalhada com rela玢o ao equipamento de acionamento manual. Nas duas situa珲es aconselh醰el que o procedimento seja realizado na porta que d para a rua, mantendo seu corpo sob a soleira e o ded鉶 sob a chuva. Ele, demais dedos e bra鏾 podem resultar molhados antes da finaliza玢o do processo, que costuma ser r醦ido.


Na volta para casa, se ainda estiver chovendo, refa鏰 os movimentos no sentido inverso. Nesta situa玢o, necess醨io o uso ded鉶, da m鉶 do outro ded鉶 e dos bra鏾s, tanto do ded鉶, quanto da m鉶 do outro ded鉶 para finalizar o procedimento dos objetos tanto de acionamento manual quanto autom醫ico. Em ambas as situa珲es, o bra鏾 do ded鉶 deve ser mantido afastado do corpo e a cabe鏰 novamente embaixo da soleira, enquanto o objeto, ded鉶, m鉶 do ded鉶 e bra鏾 do ded鉶 voltam a estar na chuva em um 鈔gulo perpendicular ao corpo. Finalizado o processo, diminua um pouco o 鈔gulo e chacoalhe o objeto. Talvez voc seja o respons醰el pelo homic韉io de algumas gotas de chuva, mas o procedimento indispens醰el para trazer o m韓imo de 醙ua poss韛el para dentro de casa. Uma vez dentro de casa, procure um local seco, repita a opera玢o para abertura do objeto, repouse ele no ch鉶 e o mantenha aberto para que possa estar seco ao ser molhado novamente.

Aten玢o: se voc n鉶 mora em casa ou apartamento t閞reo, antes de sair, leia as instru珲es de Cort醶ar para subir uma escada, invertendo o processo para a descida e lembrando-se que, com tanta chuva, ela pode estar escorregadia. Na volta, ao subir, siga as instru珲es tal qual s鉶 apresentadas.

voltar

Maria Avelina Fuhro Gastal

E-mail: avelinagastal@hotmail.com

Clique aqui para seguir esta escritora


Site desenvolvido pela Editora Metamorfose